sexta-feira, 25 de junho de 2010

ENTREVISTA CONCEDIDA A ROSELY VAZ DE LIMA, DO GEUP - GRUPO DE ESTUDOS UFOLÓGICOS DE PIRACICABA

01 - Levando em conta a sua forma de pensar, o que a Ufologia acrescenta para a vida da sociedade?R: A Ufologia, estudo dos objetos voadores não identificados, fomenta em nossa humanidade sonhadora o desejo de um contato com outras formas de vida, na esperança de que se isso vier a ocorrer, obteremos as respostas que tanto buscamos, a proximidade de Deus e de um lindo lugar chamado Paraíso que as religiões tanto nos prometem. Esperar esse encontro com seres de outros planetas é procurar preencher nossa alma de esperança e a fuga para sociedades mais "angelicais" e melhores que a terráquea. A verdade está aqui, no planeta Terra, e não lá fora onde eu mesmo a busquei por quase 5 décadas.

02 - Queremos saber sobre as "abduções". Com qual objetivo os UFO's nos sequestram?R: Essa resposta ninguém tem, salvo os abdutores. O que posso dizer é que os seres que abduzem são os marginais, aqueles que ainda não têm consciência das infrações à Lei que cometem ao agir assim. Híbridismo, miscigenação e outras teorias, por enquanto e até prova em contrário são meras suposições sem fundamentação científica alguma, por mais que relatos de testemunhas provem o contrário. A mente humana é fantásticamente criativa e desconhecida.

03 - Os círculos em plantações que vem ocorrendo no mundo inteiro, será um sinal de seres superiores que tentam nos contatar?R: Se "seres superiores" atravessam anos-luz para virem a um planeta e fazer desenhos em trigais e outros grãos, coloco em dúvida esta suposta superioridade. "Seres superiores" certamente disporiam de outros métodos para contatar-nos, passar suas mensagens ou intenções, mostrando assim, inteligência e sapiência ao contatar uma civilização mais atrasada. Os círculos são obra humana e não extraterrestre, por mais que a indústria e comércio ufológico deseje o contrário.

04 - Através da sua experiência, nos diga a Ufologia é um fato ou um mito?R: Vamos primeiramente definir a palavra Ufologia. UFO vem do inglês Unidentified Flying Object (Objeto Voador NÃO Identificado), nosso OVNI. Em não sendo identificado, pode ser qualquer coisa que voe. Então, Ufologia estuda qualquer coisa NÃO identificada que voe. Isso é um fato. O estudo dos Discos Voadores não pode ser chamado de Ufologia, pois seria um mito, tendo em vista que se está definido que é um disco voador, ele é um objeto IDENTIFICADO, ou melhor, um IFO (Identified Flying Object), nosso OVI (Objeto Voador Identificado). Não, não estou "gozando", e sim chamando a atenção para algo real. Discos Voadores existem, é um fato. Mito é tudo que se fala, escreve e adjetiva sem comprovação científica.

05 - Milhares de ocorrências são registradas todo ano, como descobrir se a atividade é verdadeira ou falsa?R: Estas milhares de ocorrências são na verdade truques e falhas de interpretação, fenômenos atmosféricos, astronômicos e telúricos, fraudes, brincadeiras de Photoshop, Corel Draw e tantos outros programas de computação gráfica e efeitos especiais. Para se descobrir se a atividade no céu do planeta é verdadeira ou falsa (no que concerne à presença de discos voadores) é necessário que os pesquisadores, ufólogos e apreciadores do estudo do fenômeno tenham a mínima graduação e especialização para saber discernir um pássaro, um satélite, um raio bola, uma nuvem de um presumível disco voador. O BOM PESQUISADOR É AQUELE QUE ELIMINA TODAS AS POSSIBILIDADES ANTES DE AFIRMAR ALGO e não o contrário.

06 - O que uma pessoa deve saber e fazer para ser Ufólogo?R: Primeiramente deve ter a sede do conhecimento, a fome do saber, a vontade de pesquisar, o amor naquilo que faz e a humildade de querer sempre aprender. Deve sair a campo acompanhado de alguém mais experiente, para primeiramente saber discernir o que é uma estrela, um planeta, uma constelação, ver a locomoção de satélites cruzando o espaço, ter a sorte de presenciar meteoritos entrando na atmosfera ("estrela cadente"), e perceber que nossa visão e a distância daquilo que vemos nos dá a nítida, porém falsa impressão de movimento. Outra indicação é duvidar sempre, ser frio, não envolver-se emocionalmente com as testemunhas, e buscar contato com pesquisadores idôneos e sérios (ainda existem, acreditem) para que estes orientem o postulante e indiquem os caminhos menos espinhosos para uma boa pesquisa.

07 - Em 1956, George Wenins, Capitão de Bordo, relatou sua experiência com um objetos não identificados nos oceanos. Existem seres inteligentes no fundo dos oceanos? Estes seres possuem inteligência que superam o ser humano? R: Se eu respondesse que sim, eu teria que provar o que escrevo, então não posso afirmar que existam seres inteligentes sob nossos pés ou mares, mas não duvido dessa hipótese de que civilizações com tecnologia própria e desconhecida por nós da superfície possam estar habitando as profundezas. Se existem, são tão humanos quanto qualquer um de nós e esse contato entre o embaixo com o em cima certamente é apenas questão de tempo. Talvez o que esperamos que venha de cima esteja sob nossos pés....

08 - A NASA, Centro Espacial Norte Americano, investe cerca de 800 bilhões de dólares por ano para encontrar vida inteligente fora da Terra. Para você, em que lugar poderiámos encontrar seres que o ser humano ainda não conhece? R: A resposta é a mais fácil de todas: aqui mesmo, na Terra. Aqui há seres fabulosos, dotados de uma capacidade maravilhosa de sorrir, amar, cantar, dançar, compartilhar, ajudar. Crescemos tanto em tecnologia que esquecemos de que temos vizinhos, não cumprimentamos as pessoas do nosso próprio trabalho, condomínio, escola. Não damos bom dia ao motorista do nosso coletivo, ao gari que limpa nossas ruas, sentimos asco dos miseráveis que se aproximam pedindo-nos ajuda. Vida lá fora? Há muita vida aqui precisando de bem menos que esses 800 bilhões de dólares. A vida daqui é muito mais importante do que a que está lá fora, se houver. Devemos erradicar a fome do planeta, restabelecer a saúde das pessoas e do meio ambiente para nos tornarmos verdadeiramente UMA UNIDADE, humanidade, ao invés de procurar vida no espaço.

09 - A Ufologia esta cada vez mais aberta ao público. A cada ano que passa, ja é constatado que mais pessoas estão concientizadas sobre este fenômeno. Você como ufólogo acha as pessoas devem estar de mente aberta para futuras manifestações? R: Primeiramente, não me considero mais um ufólogo, pois o termo hoje denigre ao invés de dar uma conotação séria. Ufólogos sempre foram vistos como malucos, visionários, loucos. Eu já tive orgulho em ser um ufólogo, hoje não me considero mais. Diria que sou um pesquisador que ainda busca respostas para o fenômeno.
Eu não sei de onde você tirou a informação de que cada ano que passa mais pessoas estão convictas do fenômeno. Eu vejo o contrário. Muita gente já não leva mais a sério a pesquisa em função de muitos fatores que não cabe aqui decliná-los. As futuras manifestações serão surpreendentes, não tenha dúvida disso e esta geração terá o privilégio de testemunhá-las.

10 - Qual estado brasileiro que mais vem ocorrendo atividade ufológica? Qual o caso mais importante entre os últimos 10 anos?R: Infelizmente não temos uma Central de Informações onde civis, amigos, pesquisadores e curiosos pudessem relatar acontecimentos/avistamentos em suas regiões. Há cerca de 6 anos criamos a UFOBRAS - Ufologia Integrada, exatamente visando esse intercâmbio sem chefias, líderes ou caciques (vide http://www.socex.net/contactusbr.htm) e (www.ufobrasassociados.blogspot.com) e onde já contamos com 320 associados. Não tendo essa troca de informações, fica difícil levantar-se a casuística brasileira e os locais de maior incidência dela.
Não ouso citar nenhum caso relevante nesses últimos 10 anos, pois no momento nada me vem à memória.

11 - Uma pessoa acaba de avistar um objeto voador não identificado. O que fazer após o avistamento?R: Primeiramente juntar o maior número de dados possíveis, tais como latitude/longitude do objeto, horário e duração do evento, direção que seguia, evolução que fazia, condições climáticas. Isso feito, consultar algum astrônomo ou meteorologista para cientificar-se de que não se tratava de algum fenômeno atmosférico ou astronômico. Finalizando, colocar na rede (web) com o maior número de informações possível, buscando outras testemunhas do avistamento e possíveis novas informações.

12 - O que uma pessoa tem que fazer para ser contactado por UFO's?R: Nada. Todos aqueles que se disseram ou se dizem contatados, quase em sua totalidade contaram que jamais esperavam o ocorrido, ou seja, foram "contatados" sem o desejar. Aqueles que buscam tornar-se contatados correm o sério risco de serem iludidos pela própria mente e por tudo aquilo que ela cria. Sim, a mente cria e a criação da mente toma vida e forma com essa "alimentação". O que mais acontece e o que menos o "contatado" acredita é que contatamos a nós mesmos, a quem não conhecemos... Sábia a inscrição da entrada do templo de Delfos: "Conhece-te a ti mesmo".

13 - Dentro da sua vida como ufólogo, qual caso que mais lhe chamou a atenção?R: A abdução de Linda Cortile. O fato ocorreu em 31 de novembro de 1989 num prédio próximo à FDR Drive em Nova York. Uma testemunha ocular do fato foi nada mais nada menos que o ex-secretário geral da ONU na ocasião, Javier Perez Cuellar. A história está no livro "A verdade sobre a abdução no Brooklyn Bridge", editora Educare. Linda saiu flutuando pela janela do seu apartamento no 12º andar, ladeada por 3 extraterrestres e entrou no disco voador. Este é o caso mais fantástico de abdução que conheço na Ufologia.

14 - Se existem seres extraterrenos ou intraterrenos, do que esses seres se alimentam?R: Creio que das mesmas coisas que nós. Se um dia algum tripulante de disco voador der-nos entrevista, certamente esta é uma das perguntas que será feita.

15 - Você nasceu na Grécia, onde a religião é politeista, você teve alguma dificuldade para associar o culto ao monoteismo?R: Creio que há um engano. A Grécia é monoteísta, os ortodoxos acreditam em um Deus único. Eu acredito é em mim e numa Lei maior que não antropomorfomizo. O resto é religião e essa Lei que sigo não precisa de intermediários entre o ser humano e ela.

16 - Como consolidar a Ufologia e as crenças religiosas oriundas da Bíblia?R: Confusão que não leva a nada e a conhecimento algum. A Bíblia é um uma coletânea de livros escritos por homens comuns. Consolidar Ufologia com Bíblia é uma verdadeira Torre de Babel que apenas distancia as pessoas da verdade. Elucubrações e achismos. Associar as ocorências da Bíblia à manifestação de discos voadores é mera divagação sem a mínima comprovação.

17 - Poderia nos citar uma frase que você mais gosta?R: "Eu e a Lei nos damos muito bem. Ela segue seu curso e eu o dela".

18 - Cinco palavras (materias, coisas ou pessoas), que você não abre mão.
R: Lealdade, sinceridade, amizade, liberdade e a Lei.

19 - Seres extraterrenos ou intraterrenos, seriam seres criados por Deus? Ou Deus é um ser criado pelos seres?
R: O ser humano tem a péssima mania de querer antropomorfizar o Divino. Quem disse que Deus criou tudo? Qual a concepção de Deus? Quem ou o que é Deus? Perguntas sem resposta, mas conjecturando que algo ou alguém criou isso tudo (universo e tudo que está nele), isso tudo é criação do mesmo criador.

20 - Na sua vida como ufólogo, sem dúvida deve ter analizado centenas de casos. Podemos acreditar que algum ser desconhecido ja foi capturado?R: Sim, analisei e pesquisei, mas em nenhum deles eu pude ter a comprovação de que o que foi capturado era ou não desconhecido. Eu ACHO que dentro das leis das possibilidades é bem possível que isso tenha ocorrido, mais de uma vez.

21 - Você acredita em outras dimensões onde seres superiores podem estar habitando?R: Sim, acredito, como também acredito que físicamente essa interação seja impossível. Em outros níveis, ficamos apenas no nível da imaginação.

22 - Em vista as várias entidades que buscam o lucro através da Ufologia. Na sua opinião Ufologia perde um pouco da credibilidade, e isso pode ser um dos fatos pela qual a sociedade não confia na ufologia?R: Depende do que essas entidades publicam. Lamentávelmente, na falta de casuística, temos visto fraudes, falhas de interpretação e conjecturas sem embasamento científico tomarem lugar em palestras e publicações. Isso, na minha opinião, denigre o estudo do fenômeno.

23 - Sobre as aparições, o que poderia ser realmente um OVNI, para as pessoas não se confudirem com outros objetos?R: Creio que essa resposta eu já dei (nº 5 acima). Necessário conhecer-se fundamentos de tudo que existe no ceú, aliado a conhecimentos básicos de ótica, meteorologia, física, astronomia e outras ciências.

24 - Se existem outros seres, poderiam existir outros animais e vegetais?


R: No campo das suposições, creio que seria normal. A cada dia surpreende-se nossa ciência com as novas descobertas, mostrando que ainda estamos longe de conhecer o que existe neste lindo planeta em que vivemos.

25 - Por último, que mensagem você deixaria para pessoas conscientes e que levam a Ufologia a sério?R: Pés no chão, olhos no horizonte e mente na estrelas. Seriedade, olhos abertos para novas teorias, concepções, idéias e para olhar além do que eles alcançam, além de uma mente aberta a novos conhecimentos e possibilidades.