sábado, 8 de setembro de 2012

ÁUDIOS E VÍDEOS QUE REFLETEM MEU MODO ATUAL DE PENSAR

O RETRÓGRADO SISTEMA DA CRENÇA
O crente não é alguém que busca. O crente não quer buscar nada. É por isso que ele acredita. O crente quer evitar a busca, por isso ele acredita. O crente quer ser levado, salvo. Ele precisa de um salvador, ele está sempre em busca de um messias, alguém que possa comer por ele, mastigar por ele, digerir por ele. Mas, se eu comer, a fome que você tem não será saciada. Ninguém pode salvá-lo, a não ser você mesmo. A crença não tem nada a ver com a verdade. Você pode acreditar que é noite, mas o dia não vai anoitecer só porque você acredita nisso. Ele não vai se tornar noite. Você está vivendo um tipo de alucinação. Existe este perigo na crença: ela faz você achar que conhece a verdade. E como faz você achar que conhece a verdade, isso se torna uma grande barreira na busca.

DÊ VOZ À SUA ESSÊNCIA 
O homem nasce acordado e depois adormece. O homem nasce uno e depois torna-se muitos. O homem nasce um indivíduo, e depois adormece e sonha que é uma multidão. Aí está todo o problema, toda a missão, todo o desafio da vida. Isso tem que ser entendido. Essa é a busca: estamos buscando aquilo que éramos originalmente. Procuramos aquilo que realmente somos. Procuramos aquilo que nunca perdemos, apenas esquecemos. Talvez por ser tão óbvio, nos tenhamos esquecido. Como despertar do longo sono e da longa ilusão?

LIGADO A TUDO SEM PERTENCER A NADA
A sociedade é contra a sua inteligência. Ela quer que você seja medíocre, porque somente os medíocres podem ser bons escravos. Ela quer você sem inteligência e estúpido, porque somente as pessoas estúpidas podem ser dominadas. E as pessoas estúpidas são obedientes, nunca são rebeldes. Pessoas estúpidas simplesmente vegetam. Elas nunca se esforçam para otimizar suas vidas. Elas nunca acendem as tochas de suas vidas, elas não têm intensidade. A estupidez é obediente e a obediência cria estupidez. A sociedade quer que você seja estúpido. As pessoas estúpidas são boas pessoas. Elas sempre permanecem com o status quo, elas nunca vão contra ele. Ainda que elas estejam vendo a podridão das coisas, elas fecham seus olhos ou estão sempre prontas para aceitar qualquer explicação estúpida. OSHO
https://www.youtube.com/watch?v=ypBah_85_gA

ATÉ QUANDO?


Planeta Terra, Século XXI de um calendário manipulado, tecnologia, modernidade, pseudo evolução, progresso. Até quando seremos assim? Até quando seremos manipulados, coniventes, acomodados, omissos, covardes, medrosos, inseguros? De que adianta esoterismo, espiritualismo, mesmismo se na prática, na cruel realidade as coisas são completamente diferentes? Até quando você você ficará indiferente?

OS VERSOS DE OURO DE PITÁGORAS
Os Versos Áureos constituem a relíquia mais autêntica da famosa Escola de Crótona. Escritos por Lísis, sob a inspiração do Mestre, cristalizam a moral pitagórica, nítida, superna, humaníssima. “Esses Versos, chamados dourados, – diz Antoine Fabre d’Olivet, – encerram os sentimentos de Pitágoras, e são tudo que nos resta de verdadeiramente autêntico a respeito de um dos maiores homens da antiguidade. Não contém, como se o poderia supor, o sentir de uma pessoa, mas a doutrina de todo o corpo sagrado dos Pitagóricos, o eco de todas as assembleias. Acrescenta, existia uma lei que ordenava a cada qual, todas as manhãs, ao levantar, e todas as noites, ao deitar-se, a leitura desses versos, como em sendo os oráculos da escola pitagórica”. Os comentários de Hierocles e Fabre d’Olivet esparzem discreta luz nas linhas do ritual de Lísis, aclarando os magnânimos intuitos da Escola Pitagórica. À sua sombra acolhedora bem se poderiam reunir os humanos, fraternalmente congregados para a prática das Virtudes, estirpadas do coração as urzes dos maus sentimentos. Seriam bem mais claros e confortáveis os dias da humanidade, se a música dos Versos Dourados fosse ouvida e fosse ouvida a persuasiva harmonia do Templo das Musas.

SEXUALIDADE - PONTE PARA NÍVEIS SUPERIORES DE CONSCIÊNCIA
A sexualidade é uma frequência. A descoberta da frequência mais elevada da sexualidade tem origem no amor. Dentro da frequência sexual há uma troca. As frequências são transmitidas de uma pessoa para outra, especialmente se houver uma ligação de amor. Uma ligação de amor não significa grudar-se no outro para sempre. Significa simplesmente que existe um relacionamento enquanto o considerarem apropriado, em que há respeito mútuo, troca de energias e que estas energias podem fluir livremente num circuito aberto. A sexualidade pode levar-nos ao inferno assim como ao céu.

LIMPEZA E ABERTURA DE CANAL
Ser um canal, um transcomunicador é como ser um transformador elétrico, o equipamento que se utiliza para tomar um nível de energia e coloca-lo em outro, modificando-o, para cima ou para baixo. Num exemplo muito simples, é como se colocássemos uma frequência de 220 volts para 110 volts ou vice-versa permitindo equilibrar duas polaridades diferentes. Segundo se conta, os primeiros casos de canalizações têm origem nas civilizações ligadas às culturas xamânicas. Os oráculos da Grécia Antiga também faziam uso. Estes canais trabalhavam em transe profundo. Hoje em dia a canalização floresce rapidamente e demonstra que é uma possibilidade que atinge e ainda atingirá muitos. Este estado vibracional é de extrema importância para aceleração do crescimento espiritual, necessário numa época de tantas mudanças.

SEM DESTINO
Destino existe? É mutável? O Destino é geralmente concebido como uma sucessão inevitável de acontecimentos relacionada a uma possível ordem cósmica. Portanto, segundo essa concepção, o destino conduz a vida de acordo com uma ordem natural, da qual nada que existe pode escapar. Concepção antiga, é presente em algumas mitologias, como por exemplo, na mitologia grega, através das Moiras, mas também em correntes filosóficas, como é o caso do fatalismo. As Moiras eram as três irmãs que determinavam o destino, tanto dos deuses, quanto dos seres humanos. Eram três mulheres lúgubres, responsáveis por fabricar, tecer e cortar aquilo que seria o fio da vida de todos os indivíduos. Durante o trabalho, as moiras fazem uso da Roda da Fortuna, que é o tear utilizado para se tecer os fios. As voltas da roda posicionam o fio do indivíduo em sua parte mais privilegiada (o topo) ou em sua parte menos desejável (o fundo), explicando-se assim os períodos de boa ou má sorte de todos. As três deusas decidiam o destino individual dos antigos gregos, e criaram Têmis, Nêmesis e as Erínias. Pertenciam à primeira geração divina (os deuses primordiais), e assim como Nix, eram domadoras de deusas e homens.

REFORMA ÍNTIMA
Sem a decisão firme da renovação íntima, o homem faz-se joguete de forças em choque, contras as quais se vê obrigado a lutar. É uma batalha árdua e demorada, porque objetiva anular o efeito dos hábitos infelizes, milenarmente fixados na tessitura do próprio ser. Essa disposição se deve apoiar na humildade, que é a célula-máter para cometimentos de tal parte. A humildade desencoraja qualquer força de violência e de crime. Consegue anestesiar os efeitos do mal e provar a excelência do bem. O seu exercício produz resultados ótimos, favorecendo a sementeira dos objetivos elevados.

ALTRUÍSMO
Altruísmo é um tipo de comportamento encontrado nos seres humanos e outros seres vivos, em que as ações de um indivíduo beneficiam outros. Além disso, o conceito do altruísmo tem a importância filosófica de referir-se às disposições naturais do ser humano, indicando que o homem pode ser - e é - bom e generoso naturalmente, sem necessidade de intervenções culturais (como religião e crença). As pessoas egoístas permanecem espiritualmente estagnadas, mas os altruístas expandem sua consciência.

DO HIPOTÉTICO AO REAL
O conceito de verdade é algo que tem desafiado a humanidade desde os seus primórdios, desde os primeiros filósofos da Grécia antiga que debateram a natureza da verdade. Eles discutiram se sua realidade era absoluta, relativa ou ilusória. Nenhum deles chegou a uma conclusão definitiva, ainda que existam muitos conceitos diferentes sobre ela. Nietzsche entendia a verdade como sendo um ponto de vista. Ele não definia nem aceitava definição da verdade. Afirmava que não se pode alcançar uma certeza sobre se alguma coisa é verdadeira ou não. Assim sendo, nos perguntamos: o que é real e o que é hipotético? Saber discernir essas palavras pode levar-nos a encontrar a verdade? A verdade é alguma coisa hipotética ou é algo real?

COMEÇO OU RECOMEÇO
"Conta-se que certa vez, Ananda, o assistente pessoal de Buda resolveu entrar num longo período de jejum. Começou a emagrecer e a enfraquecer e não conseguia mais se sentar para meditar, até que o Buda lhe disse: "Ananda, se não há alimento, não há corpo. Se não há corpo, não há dharma. Se não há dharma, não há iluminação. Portanto, volte a comer."
Muitas vezes tomamos atitudes irresponsáveis que nos levam a resultados traumáticos, dos quais às vezes sucumbimos, às vezes sobrevivemos. A vida nos oferece começos e recomeços. Como discernir entre um e outro?

DE CORAÇÃO A CORAÇÃO
Diz-se que, mesmo antes de um rio cair no oceano ele treme de medo. Olha para trás, para toda a jornada,os cumes, as montanhas, o longo caminho sinuoso através das florestas, através dos povoados, e vê à sua frente um oceano tão vasto que entrar nele nada mais é do que desaparecer para sempre. Mas não há outra maneira. O rio não pode voltar. Ninguém pode voltar.Voltar é impossível na existência. Você pode apenas ir em frente. O rio precisa se arriscar e entrar no oceano. E somente quando ele entra no oceano é que o medo desaparece. Porque apenas então o rio saberá que não se trata de desaparecer no oceano, mas tornar-se oceano. Por um lado é desaparecimento e por outro lado é renascimento. Assim somos nós. Só podemos ir em frente e arriscar. Coragem !! Avance firme e torne-se oceano!!! O que essa história tem a ver com o coração?

DESPERTANDO COMO UM
Chegou o momento e a revolução já começou. E agora, com o passar do tempo e a vontade de aprender estamos à luz da nossa consciência expandida para ver que a Terra não exige uma revolução por parte da humanidade, mas, sim, ela está carinhosamente pedindo a nossa evolução, uma evolução que espera todos aqueles que estão dispostos a humilharem-se e abrir mão de todo o conhecimento. Pois, é somente deixando ir, que podemos nos tornar abertos como uma criança e despertarmos com a consciência do UM.

PSEUDO ESPIRITUALISTAS
Quando falamos em espiritualidade podemos estar nos referindo a muitas coisas. Cada doutrina espiritual tem a sua própria estrutura social, semântica e mecânica. Há ainda o que poderíamos chamar de "espiritualidade da nova era" ou, como preferem outros, "nova espiritualidade". Contudo, paralela a esta, parece estar se formando e ganhando cada vez mais terreno uma "pseudo-espiritualidade", baseada nesta "nova espiritualidade" ou, mais corretamente, numa distorção desta última.

A IMPORTÂNCIA DO FOCO
Em nossa vida sempre estamos buscando alcançar nossas metas, a realização de nossos sonhos, a felicidade plena, porém a maioria de nós se frustra por não conseguir transformar os pensamentos em realidade. Por que será? Se fizermos uma análise superficial veremos que não mantemos o foco, estamos sempre dispersando-o, buscando alternativas na maioria das vezes contrárias às nossas aspirações. Mas o que é focar? Como manter o foco e ser um vencedor? Como desenvolver nossas competências?

OS HÁBITOS E O CAMINHO
Hábito é qualquer comportamento que aprendemos e repetimos frequentemente, sem pensar como devemos executá-lo. Uso, costume; maneira de viver; modo constante de comportar-se, de agir. Muitas ações da vida cotidiana constituem hábitos. Imagine como seria difícil alguém descer uma rua se tivesse que pensar em cada um dos atos necessários a dar cada passo. O hábito difere do instinto, que é um comportamento inato, não aprendido. Mas nossos hábitos podem atrasar, atrapalhar ou até mesmo desviar-nos dos objetivos que queremos alcançar? Como interagir com eles de forma inteligente?

UFOLOGIA DESNUDADA
Ao iniciarmos a discussão sobre o conceito de vida extraterrestre inteligente, ponto de partida para a crença na origem dos discos voadores e seres alienígenas, topamos com três questões ao mesmo tempo difíceis de serem respondidas: vida, extraterrestre e inteligente. Em relação a vida, será que tudo o que sabemos sobre a sua origem na Terra nos dá a certeza de estarmos no caminho certo? Presumimos que sim. A ciência faz o possível e o impossível para certificar-se de que suas teorias são as mais próximas da verdade, mas ainda pairam incontáveis dúvidas a respeito de tudo, e as especulações (de speculum – observar, refletir) não terminam. Quanto à vida extraterrestre, não passa de suposição, pois não há nenhuma comprovação científica para o fato. O espaço é permanentemente vigiado por “olhos e ouvidos” atentos ao menor sinal que indique companhia para o baile cósmico. Até o momento em que estas linhas foram escritas, o silêncio é absoluto e parece que isso não irá mudar. A capacidade tecnológica do homo sapiens é indiscutível e irrefreável, mas, paradoxalmente, temos que conviver com a ignorância em outros campos. A descoberta recente de uma forma de vida surpreendentemente incomum como a bactéria GFAJ-1revelou aspectos interessantes: a vida oferece variações impensadas para a sua adaptação em ambiente adverso, e sinaliza, apenas sinaliza a possibilidade de que a vida tenha proliferado espaço afora, ainda que na esfera dos microorganismos. Em terceiro lugar, o “problema” da inteligência é o mais complexo. O tempo a ser decorrido entre aqueles prováveis organismos unicelulares e a mais elementar forma de vida inteligente se estende em torno de 500 milhões de anos. Não vamos mergulhar no universo das neurociências para compreender o mecanismo da inteligência, pois o que nos traz aqui são os processos mentais que devemos utilizar para pensar sobre o “não-humano”, o extraterrestre. Neste programa, especialistas do fenômeno e de outras linhas de raciocínio, entre as quais o imprescindível ceticismo sadio opinam sobre a Ufologia sob uma ótica lógica, coerente e isenta de emoções e interesses outros.

DISCOS VOADORES, SEUS TRIPULANTES E UFOBRAS-UFOLOGIA INTEGRADA
Um dos maiores enigmas da humanidade são os discos voadores e seus tripulantes, que a maioria das pessoas crê que sua origem seja extraterrestre. Provas? Nenhuma! O fenômeno existe? Sim. Discos Voadores existem? Sim. São tripulados? Sim. Pessoas tiveram contato com seus tripulantes? Sim. Isso implica que sua origem seja necessáriamente de fora da Terra? Não! Dá-se o nome de Ufologia à disciplina que estuda este fenômeno que tanto intriga quase a totalidade da humanidade. No Brasil existem inúmeros ufólogos, grupos de estudo, listas de debates, mas faltava uma integração entre todos. Surgiu então há cerca de sete anos, a UFOBRAS - Ufologia Integrada (www.ufobras.com.br) que é composta no momento por centenas de curiosos, interessados, pesquisadores e ufólogos em todo o território nacional e que visa levantar, pesquisar e agilizar o fenômeno dos discos voadores e seus tripulantes. É um grupo harmônico, fraterno e integrado com associados de inúmeras cidades do Brasil e algumas do exterior, agrupados numa entidade não jurídica, sem chefes, sem cargos ou títulos e comungando uma Ufologia unida nas pesquisas e no intercâmbio prático, dinâmico e eficiente. Cada associado, pessoa física ou grupo, representa a UFOBRAS em sua cidade com total independência e autonomia, objetivando sempre levar informação nova, rápida e séria a todos os seus associados e à opinião pública.

O FALSO ANÚNCIO DA VISITA DA NAVE-MÃE
Segundo a australiana Blossom Goodchild, que teria "canalizado" uma mensagem extraterrestre, presenciaríamos no dia 14 de outubro de 2008 a visita de uma nave-mãe alienígena, sobre algumas regiões não-especificadas da Terra. O anúncio "ditado" pelos seres cósmicos foi feito em 1º de agosto e enviado por e-mail pela australiana a 128 pessoas, segundo ela mesma, com o seguinte conteúdo: "Nós viemos para ajudar o seu mundo, nós não viemos para dominar, nós não viemos para destruir, nós viemos para lhes dar esperança". Jaime Dalmau e Eustáquio Andréa Patounas debatem no Programa Capital Mística, da TV Capital de Florianópolis-SC o evento anunciado e não ocorrido. Programa exibido em 15 de Outubro de 2008.

FILOSOFANDO SOBRE O MUNDO ATUAL

NOSSOS ESPELHOS
As pessoas que estão ao nosso redor, com as quais nos relacionamos dizem muito a nosso respeito. São como verdadeiros espelhos, refletindo o que não conseguimos ou não queremos ver. O que está escondido bem lá no nosso mais íntimo. Nossas relações possibilitam que coloquemos às claras muitas crenças e sentimentos que nutrimos por nós mesmos e não nos damos conta. Perceba que há algumas pessoas que nos incomodam, que nos tiram do sério. Parece que existe algo nessas pessoas capaz de disparar em nós um sinal de alarme, de inquietação. Não é fácil observar, muito menos admitir aspectos negativos no nosso jeito de ser. Dessa forma, isso aparece refletido no comportamento alheio. Seria como se ele jogasse na nossa cara particularidades e atitudes nossas que negamos e tentamos esconder.

SER OU ESTAR
O conceito de Ser atravessa toda a história da filosofia, desde os seus primórdios. Embora já colocado pela filosofia indiana desde o século IX a.C., foi o filósofo Parmênides quem introduziu, no Ocidente, esse longo debate, que percorre os séculos e as diversas culturas até os nossos dias. O Ser é portanto um dos conceitos fundamentais, se não o conceito fundamental da tradição filosófica ocidental. Enquanto Ser é considerado a essência do sujeito, Estar é o verbo que marca mudanças observáveis do sujeito, um estado momentâneo. Somos ou Estamos? Quando Somos e quando Estamos? Eis a questão.

SEGUIDORES DE NINGUÉM
Os papagaios repetem o que ouvem. Se todos os dias ouvem a mesma frase é evidente que irão repeti-la cada vez com mais segurança. Você sabe que para uma mentira se tornar realidade, basta repeti-la seguidamente e o cérebro a assimilará como verdade. O cérebro acatará aquela ordem repetitiva e o subconsciente não irá mais alertar que trata-se de uma mentira. A maioria das pessoas se afastam da Verdade e acreditam em frases feitas e textos manipulados por líderes inescrupulosos e mídia subliminarmente corrompida. E você, segue quem ou o que?

A MISSÃO
O que estamos fazendo aqui na Terra? Nascemos com alguma tarefa/missão para executar ou isso tudo é fantasia? Onde entram nesse processo a determinação, coragem, abdicação e outras decisões que temos que tomar? Temos o direito ou liberdade de aceitar ou não isso em nossa vida? No que implica a nós e ao nosso entorno o bom desenvolvimento desse trabalho? Ele é individual ou coletivo? Tem méritos ou prêmios o cumprimento?

ABRA SUAS ASAS
Você é feliz? Satisfeito com o que faz, com o que tem? Você sabe o que quer? Já programou seu amanhã? Já parou para pensar do porque estar aqui, agora, neste mundo? Quantas coisas você deixou de realizar ou ainda pretende fazer? O que falta para isso se tornar realidade? O que precisa para ser pleno, feliz, liberto? Chegou o grande dia, o dia em que você vai abrir suas asas e voar pela realidade de tudo que já sonhou. Isso é possível e muito, mas muito real mesmo!

2012 - O ANO EM QUE FAREMOS CONTATO
Desde que nos conhecemos por gente buscamos contato com outras civilizações, outros mundos, outras verdades e realidades. Na maioria das vezes viajamos nas naves de nossa imaginação esquecendo-nos de pousar e colocar os pés no chão de vez em quando. Subjugadores da humanidade constantemente inovam para que os véus de Maya continuem obstruindo a visão física e o despertar tão necessário para o tão almejado contato. Mas contato com o que? Ou com quem? O que queremos e buscamos afinal? Para que? Finalmente, em 21 de Dezembro de 2012 faremos o tão almejado contato. Será a revelação mais fantástica que cada um experienciará. A contagem já começou...

AMOR E SEXO
Amor e Sexo: duas palavras que encerram o que de mais sublime existe nesta incrível experiência que chamamos de vida. Duas palavras que se confundem quando sentimos a expressão das sensações que ambas produzem. Existe amor sem sexo? E sexo sem amor? Como é viver sem amor e sexo? Para onde nos levam o amor e o sexo? Nossas experiências anteriores tem importância quando nos relacionamos intimamente com alguém?

AMOR E EGOISMO
O amor é uma atividade, e não um afeto passivo; é um "erguimento" e não uma "queda". De um modo geral, o caráter ativo do amor pode ser descrito, afirmando-se que o amor, antes de tudo, consiste em dar e não em receber. O amor, desse ponto de vista, é o contrário do egoísmo. No amor, meu sentimento altruísta volta-se para outro e, no egoísmo, faço de mim mesmo o centro do mundo; entretanto, quanto mais me amo egoisticamente, menos sou capaz de amar o outro. Nenhuma dor me comove, a não ser a minha própria dor, nenhum problema me preocupa, a não ser o meu. Amor e egoísmo não convivem e compete a cada um de nós escolher um ou outro.

NOSSAS ESCOLHAS
Coisas ruins não são o pior que pode nos acontecer. O que de pior pode nos acontecer é NADA. Uma vida fácil nada nos ensina. No fim, é o que aprendemos o que importa: o que aprendemos e como nos desenvolvemos. Traçamos nossas vidas pelo poder de nossas escolhas. Quando nossas escolhas são feitas passivamente, quando não somos nós mesmos que traçamos nossas vidas, nos sentimos frustrados. Uma pequena mudança hoje pode acarretar-nos um amanhã profundamente diferente. São grandes as recompensas para aqueles que têm a coragem de mudar, mas essas recompensas acham-se ocultas pelo tempo. Geramos nossos próprios meios. Obtemos exatamente aquilo pelo que lutamos. Somos responsáveis pela vida que nós próprios criamos. Quem terá a culpa, a quem cabe o louvor, senão a nós mesmos? Quem pode mudar nossas vidas, a qualquer tempo, senão nós mesmos? Deus sabe que isto é verdade.

E SE NÃO FOR COMO PENSAMOS SER?
Vida, morte, religião, história, passado, futuro, educação, padrões, verdades, casamento, família, amizade, ética, princípio, fim, etc. E se tudo isso que aprendemos ao longo de nossa existência não for do jeito que pensamos que é? Onde buscar a certeza? Como usar o discernimento? Podemos sobreviver fora do mundo da ilusão?

VEM, TUA FÉ TE CURARÁ
Fé (do latim fides, fidelidade e do grego pistis) é a firme opinião de que algo é verdade, sem qualquer tipo de prova ou critério objetivo de verificação, pela absoluta confiança que depositamos nesta idéia ou fonte de transmissão. A fé acompanha absoluta abstinência à dúvida pelo antagonismo inerente à natureza destes fenômenos psicológicos e lógica conceitual. Ou seja, tendo fé, é impossível duvidar e ter fé ao mesmo tempo. A expressão se relaciona semanticamente com os verbos crer, acreditar, confiar e apostar, embora estes três últimos não necessariamente exprimam o sentimento de fé, posto que podem embutir dúvida parcial como reconhecimento de um possível engano. O poder da fé como canal de cura é bem amplo e pleno quando reflete no corpo e na alma. A fé é uma ação concreta que supera a força humana.

VIDA, VERDADE E CAMINHO
Ao longo de nossa Vida, trilhamos inúmeros Caminhos em busca da nossa Verdade. Presos a dogmas, tradições, crenças e grilhões milenares, o alçar do nosso voo fica cada vez mais dificultado pela incapacidade ou falta de coragem de nos libertarmos disso tudo. Como romper os véus da ilusão? Qual é a Verdade afinal? Qual o Caminho certo ou o mais adequado? Ele é solitário? E o sentido da Vida?

FALSOS PROFETAS
Há muitos e muitos anos somos bombardeados por falsos profetas que vivem fomentando desgraças, tragédias, cataclismos, choque de asteróides, planetas chupões, volta de redentores, chegada de naves extraterrestres com Jesus a bordo, subida das águas com o conseqüente desaparecimento das áreas litorâneas brasileiras e tantos outros absurdos. Afinal, por que não se efetivam essas "profecias"? O que faz as pessoas acreditarem nesses falsos profetas? Afinal alguém vem ou não nos salvar? E do que?

VISÃO DO MUNDO
Como enxergamos o mundo hoje? O que há de verdadeiro nas "profecias" do nosso amanhã? Quem constrói ou determina nosso amanhã? O que são os problemas e o que representam?

COMPREENDENDO SUA FUNÇÃO
Qual a nossa função nesta humanidade? Somos mesmo parte do Todo? Como compreender isso? "Se Me tomas por outrem, e não por EU mesmo, perdidos se farão Meus próprios esforços de todas as épocas. E, com isso, dificultas a Minha volta ao mundo segundo as Minhas várias promessas. De que vale subdividir a Divinal Essência, se Ela é uma só, mas para ser compreendida pelos homens, é forçada a tomar diversos aspectos, nomes e funções? A Evolução Humana jamais se faria se o Verbo se manifestasse proferindo sempre as mesmas palavras. No entanto, outros homens, mulheres e crianças já vieram à Minha frente para preparar a Nova Era. Não para fundar nenhuma religião, pois que todas elas jamais foram por Mim criadas, e sim, pela ganância mercantil de seus falsos sacerdotes. Eu virei, mais uma vez, porém desta vez conduzindo o Vaso Sagrado contendo em seu interior as águas redentoras de uma nova humanidade. Venho assim, para impulsionar a tônica da Verdade, da qual os homens se afastaram, caindo em degradação, passando fome e miséria. Eu mesmo o disse: Os verdadeiros adoradores de Deus são aqueles que vêm a Mim sem o interesse mortal das cousas terrenas. Aqueles que adoram os falsos ídolos jamais poderão alcançar o Deus Único e Verdadeiro. E, assim, jamais voltarão ao lugar donde um dia vieram. Meditem sobre estas palavras aqueles que quiserem de fato acompanhar os Meus passos. E não os que preferem reviver as cinzas do passado, mesmo que fazendo uso de Meus vários nomes. Confia em ti mesmo. E, confiando, caminha para frente sem olhar para trás e divisarás na penumbra de um ciclo decadente a nova luz que guiará os teus passos". Qual a nossa função nesta humanidade? Somos mesmo parte do Todo? Como compreender isso?

UFOLOGIA: PASSADO E PRESENTE
Do meu primeiro avistamento há 51 anos, no bairro do Paraíso, em São Paulo, até os dias de hoje, minhas concepções sobre o fenômeno UFO e suas ramificações mudaram totalmente. Esta entrevista concedida no final de 2010 a um amigo no programa Capital Mística retrata bem meus pontos de vista que mudaram ao longo dos anos em função da experiência, do colocar os pés no chão, do despertar do mundo da ilusão.

O CIRCO E OS CÍRCULOS
Respeitável público, o circo chegou a Santa Catarina! Quem foi ou foram os autores dos dois círculos de plantações em Ipuaçu-SC e demais localidades? Quem poderia ganhar com isso, tirar proveito? Qual a real intenção da ocorrência? Que tipo de "inteligências superiores", fariam círculos "que tornam impossível ter sido forjados pela ação do homem"? O que "eles querem nos dizer"? Beth Farias e Eustáquio Andréa Patounas debatem a origem e motivações dessa "obra de arte" e "estes desenhos que foram feitos por seres muito inteligentes". Vamos tentar identificar a afirmação de que "houve ação de forças que não são deste planeta". Alguém "está convencido de que se trata de uma ação de seres extraterrestres". E você, o que acha? Programa apresentado em 20 de Novembro de 2008.